Ao mestre, com carinho.

|

18 de julho de 2010


Admiro as linhas nem tem tanto tempo. Poesias tão tuas e outras poucas já tão minhas... Leitura fácil, esquecível da vida, um sorriso frouxo pendendo no canto dos lábios a cada frase lida e a surpresa de um quê a mais a cada fim de poema. Uma, duas, três, dez linhas. Ou mais. Tanto faz. A idéia escorre por entre teus dedos e num instante tu transformas a rotina, eternizando-a num pedaço de papel. Seja datilografado em máquinas velhas, seja rabiscado em folhas amarelas ou esquecido num arquivo, cheio de outros poemas antigos. E saboreio, e estremeço, e arrepio, e fantasio, e silencio. Ao ler, o que me vêm ao alcance dos olhos, me pergunto se há algum meio de tornar tudo mais perfeito, de tornar mais poético. E há.

Teus poemas vieram com o vento, através da tua voz de preguiça tão mudada enquanto tu dás vida às palavras poeirentas. E te observo degustando os poemas anciãos, vestindo-se daquilo que lês e a poesia vem a ser mais perfeita, o arrepio mais intenso e o meu silêncio mais pesado. E só te observo. Você sendo aquilo que fugiu de dentro de ti em outros tempos, as palavras vincadas em tuas feições, seja numa frase de sorriso, seja num sussurro comedido, numa testa mais franzida ou num jogo de olhar, apenas. Sempre linha debaixo de linha. Você transforma-se em poema e eu te admiro, então. E saboreio, e estremeço, e fantasio, e silencio. E me pergunto se há algum meio de tornar tudo mais perfeito, de tornar tudo mais poético. E há.

As palavras atropelaram-se, estancando bruscamente na garganta. Eu via o pulsar delas, a tua agonia e a força com que as engolia de volta. A frase evaporou, pairando no ar. O poema ficou sem final. Os lábios tremeram. Os olhos fecharam. A respiração ofegou. E ali, do canto do teu olho de piscina, mais uma poesia brotou. Cintilante. Recheada de saudades, segredos e mistérios, que no teu rosto nasceu, escorreu e ficou.

comentários pelo facebook:

19 comentários:

  1. as palavras (falo destas que trazem verdade em si, mesmo enfeitadas de sentimentos) sao das formas mais lindas de dizer que se sente. e de nada vale o número de linhas, o formato cursivo (ou nao) das letras.. importa mais o que existe por trás de cada virgula (:

    beijos, querida!

    ResponderExcluir
  2. A Jaya disse uma vez que escrever é parir palavras. Acredito nisso, desde então. Deve ser lindo vê-las nascer, assim. Nos olhos daquele que te levou a elas.



    Bonito, Fê.
    :*


    p.s: as imagens na sidebar deram certo. Brigadão, doce.

    ResponderExcluir
  3. que lindo, as palavras colocadas em seu lugar perfeito.
    Maravilhoso

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais, como tudo que leio aqui.. seu modo de escrever é contagiante. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Amo passa por aqui e ler as coisas que vc escreve
    È de um carinho enorme...
    Um xeiro

    ResponderExcluir
  6. Não sei porque, mas esse teu texto tem cara de saudade.
    Ficou lindo e cheio de poesia.

    Beijo, Fê.

    ResponderExcluir
  7. Oie... obrigada pela visita...
    Já tem algum tempo que está com aquele visu mais to vendo se consigo alguma coisa bem pessoal mesmo...
    Adoro vir aqui e ler suas palavras
    Um xeiro

    ResponderExcluir
  8. Belo blog, bela postagem...

    Excelente trabalho!!!

    Fiquei feliz em conhecer...

    Veja:

    http://mailsonfurtado.com

    ResponderExcluir
  9. Um crescendo sutil, mas perfeitamente distinguível. A verdadeira arte é a que surpreende.

    ResponderExcluir
  10. Doce Fernanda.

    Foi tudo tão leve, que quando eu percebi o texto havia terminado.

    É bonito e muito agradável te ler, moça.

    Obrigada pelos comentários.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oração do amor

    Eu te entrego esta carta para você ter sorte no amor, faça 4 cópias e entregue a 4 amigas não deixe nenhum homem ler. No dia que entregar a última carta, durma e escreva no pé esquerdo o nome dele, quando acordar não diga a ninguém o sonho que teve. Depois de 7 dias ele irá te procurar mesmo estando compromentido.

    ResponderExcluir
  12. leve, assim como cada linhas ..
    cada poema marca .. cada texto seu eu me apaixono.

    ResponderExcluir
  13. Ah Fê quanta doçura...


    tú tens uma sensibilidade notável!!

    Lindo, lindo!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  14. A poesia nunca terá um ponto final. Essa que é a verdade.

    Tuas palavras tem açúcar.

    =*

    ResponderExcluir
  15. Uma lágrima pode ser mais eloquente do que qualquer palavra.

    Belo texto.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. O meu mestre, no caso, nunca existiu para mim em matéria. Encontro-o nas letras. Nos encontramos nas letras.

    Eu quis, Fê, poder homenagear alguém assim, dessa maneira. Entregar a poesia a quem um dia a entregou a mim. Dividir, somar, não sei.

    Sei que foi lindo. Feliz de você, que escreveu esse texto.

    Um beijo de carinho, te deixo.

    ResponderExcluir
  18. Ô Fê, que beleza pura essas suas palavras! Tanto encanto!
    Tanta , tanta ternura!

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥