sobre o dia 08.07.2014

|

9 de julho de 2014


Em nota no post de ontem, comentei que falaria do jogo e do Cachinhos Dourados numa próxima oportunidade. Talvez estivesse premeditando que o Brasil seria eliminado da Copa e fosse necessário escrever umas linhas para falar do ocorrido. Ou talvez foi só coincidência mesmo — prefiro acreditar.



Penso em como começar. Há muito que quero dizer, mas não consigo organizar as ideias. Perdoem-me se este texto sair um pouco incoerente. Na ânsia de querer dizer muito, provável me atropelar um pouco. Vamos por partes.

Antes do jogo começar, sabia que seria difícil. Tenho um pezinho na Alemanha, fruto do sobrenome que carrego e dos bisavós paternos, mas sou brasileira de raça e coração. Então, por mais improvável que fosse, estava sim torcendo para o Brasil e cheia de esperança. Hashtag-euacredito. E acreditava. Muito! Em jogo, era nítida a diferença do futebol alemão para o futebol brasileiro. Eles estavam infinitamente melhor no jogo. Foca nisso: no jogo. Tudo bem que não precisava dos seis minutos de baile. Tudo bem que 7x1 é um resultado pra lá de "humilhante", mas o jogo — apesar dos pesares — foi um jogo digno. Foi um jogo humilde. Se tirássemos a camisa amarela do time adversário à Alemanha, seria até um jogo bonito. A Alemanha fez um jogo bonito. E os jogadores, técnico e comissão técnica do Brasil, mostraram humildade. Eles perderam ganhando meu respeito.

Ao término do jogo, Felipão (ao contrário de Dunga, na última copa) entrou em campo, abraçou cada um dos seus jogadores e reuniu o time. Achei ele um baita de um cara! A atitude foi honrosa, tanto quando assumir a bronca na entrevista coletiva. Se o time foi mal, ele foi mal. O erro foi dele em ter escalado o Fred também. Foi nesse ponto — ok, começou bem antes — que começou a hipocrisia do povo brasileiro.

O povo, que cantou o hino a capela, começou a vaiar o time no momento que este mais precisava de apoio. O povo, que correu atrás de ingresso e pagou mundos e fundos por ele, começou a chamar o brasileiro de otário por ter acreditado na copa. O povo, que entoava orgulho e se vestia de verde e amarelo, queimou bandeiras. Que torcedor é esse que não sabe perder? Que exemplo é esse que o povo dá? Somos brasileiros só enquanto o jogo está ganho? HI-PÓ-CRI-TAS. Vestem-se de Brasil dos pés a cabeça antes do jogo e, no primeiro baile, tiram a máscara e mostram quem verdadeiramente são: um bando de perfídias.

Criticaram o Felipão pela escalação e ele foi inteligentíssimo ao responder: ganhamos até agora, não ganhamos? Por que agora a seleção é um lixo? Tá, não foi bem isso, mas a ideia era essa. O Brasil, até antes do jogo, era O TIME. Assim, com letras maiúsculas. O povo era O TORCEDOR. A Copa era A COPA DAS COPAS. E agora é lixo? Agora é COPA PRA QUÊ? Agora é quebra-quebra, #vemprarua, vandalismo? Só porque um time — que até o fatídico momento tinha trazido alegrias, vibrações, patriotismo — teve a infelicidade de desestabilizar perante à um time muito melhor? Não foi o Brasil que jogou ridiculamente mal. Foi a Alemanha que jogou bem. Nós jogamos bem até aqui. Fim. Vamos todos torcer para um terceiro lugar. Vamos todos mostrar que somos bons perdedores. Vamos todos aplaudir de pé o bom futebol que vimos ontem: sem violências e sem guerras, ao menos em campo.

Apesar da goleada, em momento algum a Alemanha foi arrogante. Ao final da partida, garantindo vaga na final da Copa 2014, os alemães consolaram os jogadores brasileiros, antes mesmo de comemorar a vitória. Apesar do coração partido por termos perdido, a mensagem transmitida nesse jogo foi épica, tanto quanto o placar.

Eu sei que o futebol não paga as minhas contas, sei que o mundo não acaba por causa de um jogo, sei que é um jogo. Mas respeitem. Respeitem os meninos que choraram, respeitem o povo que ficou triste, respeitem o povo que torce. Hoje estamos todos trabalhando, a vida continua e blá blá blá. E daí? Reconhecemos que é só um jogo de futebol, mas somos torcedores. Queríamos ver vitória. (poucos) Reconhecemos a derrota e, desculpa sociedade, mas merecemos a derrota. Não pelas outras partidas, mas por essa: a Alemanha, simplesmente, jogou melhor. Foi assim com todas as outras seleções da Copa que foram embora: num jogo decisivo, o outro time jogou melhor. A matemática é simples e, infelizmente, não foi dessa vez.

Deixa o povo chorar. Deixa os jogadores chorarem. Eles não perderam porque quiseram, eles não imaginavam isso. Deixa a gente sofrer, que seja só um pouquinho. Não julguem nem critiquem o time, tampouco o técnico. Eles fizeram o que podiam. Chegaram onde chegaram. E não deu. Dê exemplo para essas crianças que perder também é saudável, é normal. Um dia estamos bem, no outro nem tanto.

♫ Encosta tua cabecinha no meu ombro e chora.
(ops!)

Não é errado chorar. Chachinhos Dourados, você foi incrível. Você conquistou os brasileiros, desde a garotada até as senhoras (Vovó vivia gritando: Vai Davizinho, faz um golzinho pra mim). Seu pedido de desculpas foi aceito.

Para finalizar, parafraseio uma frase que a Amanda postou ontem no facebook:
1 heartbreak: David Luiz. Torcendo para ver uma Copa onde o Brasil ganhe e possamos ver esse cara levantar a taça e dar a felicidade que ele tanto quer distribuir pro nosso povo.
PRA CANTAR ALTO E EM BOM TOM! #ERGAESSACABEÇA #BRASILEIRADE♥
Ergam essa cabeça. Vocês foram F*DA!
  às vezes a felicidade demora a chegar, aí é que a gente não pode deixar de sonhar.



EH TÓIS MANO!!!!
Leia também o texto da NANA e da Magada.

comentários pelo facebook:

17 comentários:

  1. Isso aí, Fê. Você, a Nana e a Babi tão me fazendo assinar em tudo que é canto no que escrevem.
    Concordo e sinto muito como você colocou aqui. Ser torcedor é algo bem maior do que estamos vendo de algumas pessoas. Ainda bem que tem gente como a gente que torce e apoia independente do resultado.
    Que venha mais copa, mais jogo, e eu vou continuar torcendo, e MUITO, como sempre, porque sempre foi assim pra mim. E não é por isso que deixo de trabalhar, de fazer o meu melhor.
    Assim a gente cresce, o Brasil cresce.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É NÓIS NA RÚSSIA BEBENDO WHISKY, VODKA OU ÁGUA DE CÔCO MAGADAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

      Que o Brasil cresça e cresça muito. Outubro tá quase aí.


      Beijo xuxuzinha

      Excluir
    2. Hahahahahahha... É tóis Braseeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeel! \o/

      Beijo FêzocaLinda! :*

      Excluir
  2. Assinando embaixo Fê. É muito fácil torcer pra time que tá ganhando e muito fácil julgar quanto perde, o time e o evento. Muito fácil amar a Copa das Copas enquanto o time dá alegrias e muito fácil cuspir no prato que comeu quando o time é atropelado por outro incrivelmente melhor. Muito fácil vestir a camisa quando é conveniente. Muito, muito fácil.
    É muita hipocrisia pra minha cabeça. PelamordeDeus.

    Razô Sis.
    Te lóve, vem ser brasileira forever comigo! Me abraça! ♥♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É na adversidade que a gente conhece o verdadeiro caráter de uma pessoa.

      razâmos, Sis. Razâmos muito.
      Te lóveeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

      Excluir
  3. FALOU TUDO, MF! Tudinho!

    A glória é uma delícia, mas a derrota é para os fortes. Só um verdadeiro atleta sabe de fato lidar com a queda e buscar artifícios para melhorar.
    Me nego a comentar sobre o pessoal do #nãovaitercopa, #copacomprada, #seleçãolixo etc. Sou da ideia de "Tá reclamando? Vai lá e faz melhor...".
    Então vem uns e dizem "Mas eles ganham rios de dinheiro pra isso!". Certo, ganham, eu acho que não deveriam ganhar tantos e outros atletas de outras modalidades ganharem tão pouco (e/ou nada). Porém, infelizmente, é o sistema, é assim que funciona. O fato é que NINGUÉM, em sã consciência, perderia por querer. O que houve foi uma zebra muito grande (falo do placar). No fundo, eu sabia que a Alemanha tinha muito mais chances de passar pra final do que o Brasil. No entanto, a vontade de ver esse cara dos cachinhos dourados levantar a taça do hexa me fez acreditar mais um pouco na seleção. Infelizmente, houve aqueles dez minutos em que levamos 5 gols, um atrás do outro. Sem chance pra reações. A seleção ficou totalmente desestabilizada. E eu não julgo os caras por isso. Quem não ficaria? Até o atleta mais treinado psicologicamente sairia dos eixos levando cinco gols em dez minutos. Ninguém imagina isso. Ninguém treina pra levar isso.
    Umas criaturas das trevas acharam que o choro dos jogadores era fingido. ORRA, VELHO! SÉRIO MESMO ISSO?! Gente que não entende NADA de esporte. Não sabe o que é lutar por um sonho e vê-lo escapulir em tão pouco tempo.

    No mais, não ganhamos o hexa, mas ganhamos algo bem melhor do que isso: tivemos a chance de conhecer esse ser humano espetacular e atleta guerreiro que é o David Luiz. Ele ganhou o meu coração de forma total. Eu o admiro bastante e acredito muito que ele possa levantar a taça do hexa. Ele merece fazer o Brasil feliz. Nós merecemos vê-lo realizando um grande sonho.

    Um abraço!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ericota você devia postar isso no seu blog e fazer o Porchat ler. Demais teu comentário :*

      Excluir
  4. Oi! Vim responder seu comentário! E já comecei gostando muito do post (lindo blog, por sinal).
    Concordo que a Alemanha foi imensamente melhor, e por isso perdemos. Só que acho que perdemos também por erro nosso. Eu me apeguei a essa seleção, acho a maior simpatia, caí de amores pelo David Luiz, queria vê-los levantando a taça. Mas falharam. O que é normal. Talvez não o que aconteceu naqueles seis minutos fatídicos, mas é.
    Sigo apoiando minha seleção. Precisa melhorar, sim. Veio ganhando sem ser maravilhosa, passou sufoco e acho que não correspondeu às nossas expectativas. Mas a Copa continua sendo a hashtag-copadascopas.
    Estou evitando falar sobre essa gente que até ontem amava a seleção e agora odeia. Que até ontem tava felizona com a copa e agora fica dando lição de moral. Que relaciona uma derrota em campo com a nossa sociedade inteira.
    E chorar é normal. É uma expressão de emoção. Deixa os meninos chorarem, lavarem a alma. Que isso sirva pro aprendizado deles, que eles cresçam sobre isso e voltem com muito mais força na próxima.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. É isso! Pqp é isso mesmo!Não tenho absolutamente nada a acrescentar. Vou apenas compartilhar seu post

    ResponderExcluir
  6. Fê concordo em gênero, número e grau! Essa seleção me surpreendeu pelas formas mais improváveis. Eu tenho um orgulho imenso de poder bater no peito e dizer David Luiz e Felipão são do meu país, são dois caras exemplares. Felipão é e sempre será phoda! O cara é bão! Erra todo mundo erra e não é por causa de UM jogo que vou esquecer a alegria que eles me trouxeram até hoje! Mesmo tendo perdido tenho orgulho da nossa seleção, e ainda não acabou! Queria poder dizer que tenho orgulho do meu povo mas acho que já tô cansada de tanta hipocrisia que não consigo sentir nada além de pena.
    Amei o texto! E bora que sábado tem mais, e vamos torcer pelo zap zap e morrer de angustia! ;)
    Beijos bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Torcer pelo zapzap. Por essas e outras é que amo vocês. ♥

      Excluir
  7. Me arrepiei muito lendo esse texto, Fê! Não consegui entender esse povo que torce num momento e vaia o time no outro. NÃO É ASSIM QUE FUNCIONA, gente! Não é porque vocês estão vaiando nossa seleção que ela vai jogar melhor. Não sei o que passa na cabeça dessas pessoas e, na real, nem quero saber, porque não deve ser coisa que se preze. Fiquei com muita vergonha alheia daquelas pessoas. MUITA.

    Claro que me despedacei com David Luiz, né? Claro que todos nós perdoamos ele e perdoamos a Seleção. Eles são jovens, inexperientes, em sua primeira Copa. E quais de nós nascemos sabendo lidar com certas coisas? A pressão em cima daqueles meninos não era pouca e obviamente eles não aguentaram. Mas agora eles têm a chance de trabalhar duro por 4 anos e fazer uma Copa melhor da próxima vez. Eu estarei torcendo, novamente, com todo meu coração.


    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  8. Nem mais, nem menos. É exatamente o que eu diria.

    ResponderExcluir
  9. Tem que ter maturidade pra lidar com a derrota, seja ela qual for, e infelizmente nem todo mundo é.
    Foi um belo jogo, infelizmente ficamos na parte que tomou os sete gols, se tivesse sido o oposto estaríamos felizes hoje. Mas perdemos, perdemos feio, foi humilhante sim, doeu ler o que os outros países falaram do nosso futebol, logo o povo brasileiro, que já nasce com a bola no pé, teve de lidar com as manchetes maldosas dos jornais internacionais.
    7x1, 7x1, 7x1
    Na hora eu chorei um pouco, confesso, nem sou tão vidrada em futebol, mas copa do mundo é copa do mundo, copa em casa, então, melhor ainda, ver meu time amado perder de uma maneira tão vexatória foi tremendamente ruim, mas o resultado não anulou o fato dele ser o meu time amado. deu amar a seleção, amar o meu país e ter aprendido a amar o futebol também.
    Tive vergonha, mas não do resultado, tive vergonha da atitude de alguns Brasileiros que só se agarraram ao verde e amarelo enquanto estávamos ganhando, que aplaudiram os gols, mas vaiaram a derrota, tiver vergonha não do nosso futebol, nem do 7x1, tive vergonha de quem queimou nossa bandeira, de quem foi embora no meio do jogo, de quem não soube aplaudir de pé o nosso trabalho, que podia ter sido melhor, mas fazer o que?

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  10. Li seu texto ontem, no ônibus, com todo carinho, Fernanda. Muito legal mesmo. Ainda mais para mim, que nunca fui fã de futebol mas acompanhei esses últimos jogos da seleção e quando percebi que perderíamos me invadiu um sentimento ruim de vazio e decepção. E assim fiquei (meio que de luto mesmo) no dia seguinte. Tava todo mundo tão cabisbaixo que parecia que morreu num parente próximo. Adorei por ler isso tudo e superar um pouco dessa bad que envolveu todo mundo.

    ResponderExcluir
  11. A maior vergonha foi dos brasileiros mesmo. Os tantos que torciam agora xingavam. Há muita hipocrisia solta por aí. Além do mais, as pessoas não sabem separar as coisas. É um esporte, e a derrota estará sempre rondando, sem mais, sem menos, é assim. Alguém tem que ganhar. Não importa como foi, é preciso respeitar e saber que é um esporte. Em nada justifica atos de violência como os feitos contra a família de Zúniga e contra o país por causa de uma derrota. Realmente é complicado e lamentável... Foi né...

    ResponderExcluir