bordada de flor

|

16 de janeiro de 2015


A melodia invadiu, suavemente, o interior do carro, trazendo um arrepio bom. As lembranças escaparam do baú e condensaram nos olhos, deixando claro que tudo aquilo que foi bom ainda perdura e é parte minha. Lembro que fugi do tom em meio a um soluço. E solucei bem no refrão. Repudiei-me um pouco por perder a graça da música que tocava, mas o estribilho se repetiu tantas e incontáveis vezes, que inspirei aliviada ao absorver cada letrinha que penetrava em mim.

Teve uma época que jurei nunca mais, nunquinha, voltar a lembrar de você, mas tem tanto traço teu nas nuances da rotina, que se torna impossível não tornar parte minha. Assim como cantou Renato Russo — e outros tantos! — é quase sem querer que você se torna lembrança. Acostumei-me tanto a esbarrar nas coisas que são tão tuas, que quase não mais percebo. Entende moço, eu mudei depois de tudo, sabe? E cada dia mudo mais. Vejo isso nitidamente quando esbarro comigo em frente ao espelho. Ninguém sabe, nem ninguém precisa saber, mas muito de mim hoje só é, porque fomos. Viramos páginas, mas a história fica ali, esquecida n'algum canto, até que venham detalhes que nos remetem à essas memórias — hoje tão gostosas.

Eu aprendi a desapegar desses detalhes. torná-los quase imperceptíveis. A maioria deles. Mas aí vem o acaso e me presenteia com uma música que não costuma tocar na minha playlist. Aí vem o riso bobo no meio das lágrimas, os olhos brilhando de sal e aquela ruguinha no canto, que mostra como eu mudei. E sei que mudei. E só eu sei. E é assim que basta.



É rosa nunca visto, é cor do imprevisto
É flor de estação.
[...]


O "Projeto 16 on 16" é escrito por mim e mais quinze meninas, sendo um tema literário para o dia 16 de cada mês. 
Ariana Brunna | Camyli | Daniela | Gabi | Ghiovana | Lianne | Lys | Máira | Marlana | Thaís

comentários pelo facebook:

17 comentários:

  1. "Ninguém sabe, nem ninguém precisa saber, mas muito de mim hoje só é, porque fomos."

    Eita guria arretada gente!
    Essas lembranças são gostosas, faz bem lembrar o motivo de não sermos as mesmas de antes, faz bem esse sorriso bobo, faz bem essas lágrimas que lavam a alma.
    Adorei!

    Beijo ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAH
      eu tinha cer-te-za que tu copiaria essa frase, Ari. Já fui correndo ver se tava no tuiter também hahahah!

      Beijo xuxu

      Excluir
    2. Palpite :)
      pior que quando escrevi essa parte, lembrei mesmo de ti

      Excluir
  2. Maria, como sempre arrasando! *-*
    O que mais importa é sabermos lá dentro do nosso coração que nós mudamos, né? Não importa o que o mundo pense, estar bem é estar de bem com o próprio coração. É quando as lembranças não mais nos machucam e sim nos fazem sorrir, fica ainda melhor.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi fofura ♥
      acho que tudo que foi bom, mesmo que por um tempo tenha nos feito sofrer, uma hora volta a nos fazer sorrir. Quando a lembrança deixa de ser sofrível, a sensação é delícia por demais.

      Beijão

      Excluir
  3. E mudar de vez em quando faz um bem danado. :)

    ResponderExcluir
  4. Muito legal esse projeto e tenho acompanhado alguns dos blogs.
    Amei seu texto. E mesmo quando não queremos mas sentir ou lembrar de alguém, parece que o coração se torna ainda mais teimoso. Coisas do amor. como disse Renato Russo também, quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração.
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mika,
      que feliz de você acompanhar o projeto ♥
      Acho que a lembrança não fica guardada na cabeça, não. Ela fica é escondida mesmo no coração, único lugar no corpo inteiro que não temos controle algum. (não é?)

      Beijão.

      Excluir
  5. Descreveu bem o sentimento nostálgico. Música sempre traz à tona esse poder: causa e lembra. Como consequência, olhar para trás nos faz notar mudanças, como você disse. E admita, é mais gostoso sentir isso agora do que se ver sem pedacinhos tão pertencentes a você num passado não tão distante.

    Bom 2015, Ma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a gente analisar friamente, música é uma merd@ não é? Tem o dom de trazer lembranças, mudar humores e cutucar feridas. Eita.

      Bom 2015 pra ti também, Lu ♥

      Excluir
  6. "Ninguém sabe, nem ninguém precisa saber, mas muito de mim hoje só é, porque fomos."
    Me obrigo a copiar a frase também, poxa! Maravilhosa! <3

    ResponderExcluir
  7. Exato: os detalhes. Ainda estou prisioneira a todos eles.
    Como hoje: 17.
    Poxa, tão difícil esquecer. Esquecer também é mudar certo? Acho que não mudei tanto assim.
    Meus parabéns por seguir em frente, quanto a mim ainda estou procurando o caminho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que mudar também pode ser o fato de lembrar sem sofrer ;)

      Excluir
  8. Ai essas musicas que nos trazem uma porrada de lembranças que já foram boas um dia...

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥