Confissões veladas: Tem partes de você em toda parte.

|

27 de agosto de 2015


Merda. Merda. Merda. Três vezes merda. Quando pensei que já tinha te esquecido, que estava tudo indo a mil: sonho contigo de novo. Acordei ofegante, suada, com os lençóis revirados...

É uma piada de mal gosto. Quantas noites passei insone, pensando em te esquecer? A alma aquietou-se tímida quando finalmente constatei que não havia nada teu dentro de mim e a rotina desenvolveu-se tranquila. Eu flutuava, sabe? E com tanta paz pulsando em mim, finalmente consegui dormir. E você me veio como um sonho bom. Merda, merda, merda.

Lembra aquele dia que fomos ao parque? Eu querendo ir na roda gigante e você me dizendo que isso era coisa de criança... Mas como argumentar com uma criatura comendo um baita algodão doce? Claro que você acabou indo comigo.. A gente riu tanto lá em cima... E eu fiquei tão feliz, com a boca toda lambuzada de doce, que você limpou com carinho...

Agora este sonho... Está tudo errado! Ei, moço, você não deveria mais fazer parte deste enredo! Que história é essa de chegar de mansinho, enquanto estou dormindo e desarrumar meus pensamentos e lençóis? Você não tem o direito de chegar bagunçando meu coração de novo... Merda. Ainda sinto teu cheiro no travesseiro amassado de meus abraços.

Ainda sinto saudade. Eu sinto uma falta danada moço. Tem partes de você em toda parte. E esse sonho? Esse sonho me desequilibrou, fecho os olhos e tudo que vejo é você na minha frente, tão perto, tão meu... Como você faz isso? É covardia demais me enlouquecer quando eu já seguia em frente, liberta dessa paixão louca. Agora vejo como simplesmente me enganei.

É bem assim, quando a gente pensa que tudo acabou, um simples cheiro, um trecho de música, uma flor me traz tua presença novamente. Sinto saudade, sabe? Saudade de ti, saudade de nós... Talvez eu te ligue, não sei ainda, mas moço, que fique registrado: eu sinto saudade.

Eu sempre senti saudade, não vou te negar. Mas havia aprendido a viver com ela e estávamos nos dando bem. Na maior parte da rotina, ela era imperceptível, esquecida. E eu seguia leve e linda. Mas ai veio você, invadindo meu sono e arrancando para fora toda a saudade que escondi aqui dentro. Transbordo de lembrança tua.

mais um plural pluralíssimo, escrito à muitas mãos. Texto feito por mim e mais duas lindas: A Dheysse e a Céres ♥

27|31

comentários pelo facebook:

9 comentários:

  1. Ai que maravilhosa essa parceria.
    Amo quando misturam palavras feias e palavrões com delicadeza, fica tão real sabe como?
    Consigo imaginar a cena como se fosse um daqueles filmes comédia-romântica-dramática.

    Adorei.
    Beijo em vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo quando tu ama o que a gente escreve :) e que massa que parece filme. ♥

      outro beijo em você ;*

      Excluir
  2. "Mas ai veio você, invadindo meu sono e arrancando para fora toda a saudade que escondi aqui dentro. Transbordo de lembrança tua. " Hei, vamos parar de ficar escrevendo sobre a minha vida? ta feio já! HAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA zoadinha basica!
    AM OTU!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAHAHAH Camy, vivemos todos a mesmo drama/comédia. Pode zoar que eu deixo.

      Beijos!

      Excluir
  3. Esse ficou muito, muito fera! A saudade é assim mesmo, avassaladora, chega e trás tudo à tona novamente ❤️ Amei Fê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sempre traz, né Babi? A gente acha que tá imune, mas é um detalhe e PÁ! volta tudo.

      beijos!!!!

      Excluir
  4. "É bem assim, quando a gente pensa que tudo acabou, um simples cheiro, um trecho de música, uma flor me traz tua presença novamente."
    é sempre assim, e o pior é que dá uma raiva absurda pois não podemos controlar nem as reações involuntárias do coração.
    Texto incrível.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    http://blog.amanda-almeida.com.br/

    ResponderExcluir
  5. QUE TEXTO ARRETADO!
    Essas coisas de sonhar com quem já deveria ter ido embora de vez é barra!
    Já aconteceu comigo, mas hoje não mais. Mas é tenso!

    Escreveram lindamente boas verdades.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo todos esses comentários!!! Ow coisa boa é vir aqui e ver como o texto foi super bem aceito, gente se identificando! Muito massa!!! Cada parágrafo uma emoção!! Só quem não amou não sentiu viver a confusão entre esquecer e lembrar! A Amanda Almeida disse algo certo: "Que dá uma raiva absurda pois não podemos controlar nem as reações involuntárias do coração" Talvez essa seja a magia do amor rs!!! Um abraço mega apertado em todas você Gurias!!! E obrigada pelos comentários!!

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥