Adeus pequena

|

9 de setembro de 2015


Em um aeroporto qualquer a outra vida me esperava. Quando meus pés tocassem o chão e os lábios dela tocassem os meus, não existiria mais você e eu. Todas as razões e sensações me incentivaram a ficar ao seu lado. Você sabe que tentei, mas me manter presente na distância ficou cada vez mais insustentável. Não era minha intenção desejar você, nem passar o pouco tempo que tinha em sua companhia, você, pequena, foi tão envolvente que me prendeu. Se a escolha de partir me pertencesse eu jamais deixaria seus braços. No entanto, a um custo alto de culpa me obriguei a apagar os rascunhos sobre a saudade, sobre a paixão, sobre os teus abraços apertados e os beijos quentes, os quais não sentiria novamente. Tive que seguir em frente ainda que tropeçando em seu número tantas vezes que precisei deletar da minha vida a vontade quase enlouquecedora de ouvir sua voz.

Eu me perdi pequena. Do lado de cá idealizei desculpas, imaginei retornos, ensaiei um discurso sobre como você fazia a felicidade acontecer em dias comuns. Contudo, abandonei a esperança e engavetei minhas falas e explicações falhas, seria injusto prender você, seria injusto dividir o peso da minha bagagem de erros, eu não tinha nada a oferecer a não ser uma vida complicada e um coração dividido. Você não merecia nenhum dos dois. Sei que minha ausência naquela manhã consumiu você nos dias seguintes, mas se eu cedesse às despedidas, jamais conseguiria deixar você. Tive que ir, sem rastros, sem bilhete, carta ou algo qualquer. Pode ser que não acredite, mas foi difícil ir e não voltar. Olhei pra trás inúmeras vezes e em todas as vezes você estava lá na incansável espera por mim.

Entre encontros, mágica e desencontros eu amei você, pequena. Do meu jeito indigno, torto, desleal e sincero. Eu amei. E esse amor feriu minha alma ao sentir sua dor e sofrimento. Sim, minha pequena, eu ouvi seu choro a mil milhas de distância. Nunca vou me perdoar por não ter voltado e oferecido a você o conforto do meu colo. Mas é que essa foi minha forma de dizer vai, segue, você consegue, você precisa de alguém inteiro, de alguém que entrelace seus dedos sem jamais soltar. É tarde demais quando o tempo é contra, pequena. Me perdoe por ter desistido. Eu ainda sinto tanto sua falta, sinto tudo, pontada por pontada, dor por dor, cada mês, durante cinco anos. Não pude e não posso abrir mão de minhas responsabilidades. Envelheço em cada aniversário, olho para trás e em um último adeus já não vejo você.

______
DHEYSSE LIMA, escritora de botequim no jeitolunatico.blogspot.com. Tudo o que não fala vira história. Aquariana intensa. Fã de Wilson Sideral. Troca facinho, facinho o que estiver fazendo por qualquer distração. Atualmente é formada em Nutrição e o seu coração pertence a oncologia clínica. Moça de Fé! Blogueira desde que decidiu compartilhar seu amor pela escrita.
LEIA MAIS DA DHEYSSE!
FACEBOOK | BLOG 

• • • • • 

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente.

comentários pelo facebook:

8 comentários:

  1. Poxa! Chorei! Texto lindo demais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chorei também. Tô com essa música tatuada na alma já =\

      Excluir
  2. Minha geeeeeeeeeeente, que texto é esse? Poxa vida (mas queria dizer puta merda)!
    Me coloquei no lugar da pequena que ficou, e nossa, não aguentaria uma barra dessa não. Que texto incrível, tô boquiaberta de tanta beleza e verdade. Dá pra sentir muita vida nas palavras.

    Arrasou! Só tem gente massa por aqui.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode dizer "puta merda" Magadinha. Eu também disse hahhaha, to com coração miudinho ainda =\


      Beeeijos amore. ♥

      Excluir
  3. Oie! Que texto lindo e triste *-* Mas muito profundo e carregado de sentimentos. Adorei a leitura, leve e da aquele calorzinho no coracao! Super parabens. Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/procura-se-um-pa/

    ResponderExcluir
  4. Que texto ♥♥
    Eu não tenho nem o que dizer... infelizmente a vida é assim mesmo, damos adeus a quem mais queríamos estar perto... A música escolhida é linda também. Beijos

    www.pumpcolor.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem adeus que tem mais amor - e amor mais eternos - do que muitos 'vem cá'.

      Beijos Lav. ♥

      Excluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥