madrugando

|

19 de outubro de 2015


Eu escrevo e te conto o que eu vi e me mostro de lá pra você.
Guarde um sonho bom pra mim.
[Rodrigo Amarante]

As horas escorrem pelos meus dedos apressadas em fazer nascer o dia. Estremeço. A cabeça padece cansada, o coração grita no peito e as olheiras roxas pré-indicam o início de uma semana longa. Remexo. O colchão me maltrata a coluna, as fronhas e lençóis carregam o cheiro macio da roupa recém recolhida do varal. Enlouqueço. Não há uma réstia de cheiro teu impregnado no meu quarto. Silêncio, silêncio, silêncio. Silencio. A rua silencia, a cidade se aquieta e todo som dorme. A taciturnidade tem gosto de café amargo e levanto com as mãos dormentes e necessitadas de tato, de toque. Não há cafeína forte o suficiente, salvo um resto de coca-cola gelada dormida na última prateleira da geladeira, que desce resfriando meu corpo sedento e, nem assim, mata-me a sede. As mãos permanecem vazias e encho uma caneca com leite, ponho para ficar quente e preparo com chocolate. Seguro a caneca entre as mãos, aquecendo a ponta dos dedos e eu. Pouco a pouco. Lentamente. Danço no escuro da sala e me escondo debaixo da luz da lua, já tão alta num céu quase sem estrelas. E precisa? me pergunto. Me esqueço recostada na parede, a xícara já vazia ao meu lado, meus braços abraçando as pernas. Sorrio e deixo a mente flutuar para um quarto de céu azul e te imagino dormindo tranqüilo, agarrado num travesseiro fofo, feito menino. Você sorri enquanto dorme. Um fiapo de felicidade mansa, preso no canto dos lábios e me pego pensando quais sonhos te encantam, qual música que te faz trilha sonora e estico os braços, para afagar teu rosto de moço... O ar ‘tá quente em minhas mãos, o sol irradia nas beiradas deixando o céu com aquele tom de amarelo nostalgia. Volto pra cama vazia, me enrosco no cheiro de roupa limpa e adormeço. Tem um resto de riso teu comigo


• • • • • 

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente.

comentários pelo facebook:

8 comentários:

  1. MINHA NOSSA!
    Só o que consigo comentar!
    Muito foda essa coisa de ficar partes do outro na gente, depois que vão embora. É forte, intenso, triste. Mas é foda!

    Saudade de passar por aqui. Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Gosto tanto desse que nem sei o que comentar. Me tira as palavras. Insônia. Ausência de sono. Excesso de pensamentos.

    ResponderExcluir
  3. Eita guria arretada pra detalhar maravilhosamente bem um texto!
    Essas partes que ficam em nós, de madrugada parecem se manifestar mais, é na madrugada que o silêncio da rua ativa a barulheira dentro de nós.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Nossinhora! Já me senti assim umas vezes, viu? Ai, como é doído, doido, agridoce e maravilhoso se apaixonar!
    Lindo, moça MF.
    Um abraço!

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir
  5. Que magia te ler. Que magia ver tudo que você descreveu, Mafê. "Meus braços abraçando as pernas". Parece que eu acompanhei toda essa insônia do canto da janela. Foi lindo acompanhar cada descrição. <3 Tava com saudades daqui!

    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Ai ai, tava com saudades do teu cantinho e quando volto me deparo com um texto desse! É de arrepiar a pele, tocar o coração e aquecer a alma! O texto tá lindo e eu sem palavras como sempre <3

    Beijão :**

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro quando coloca uma música antes do post começar, já deixa a gente curiosa querendo saber o que vem do texto. Me sinto tão assim como descreveu no texto! Gostei muito, MF. Como sempre, né? <3

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥