precisamos falar sobre o ego

|

23 de fevereiro de 2016


Já parou para contar quantas pessoas você conhece que possuem o ego inflado? Ou, até mesmo, já parou para pensar quantas vezes você mesmo fica com o ego gigante? Diversas, não é?

Primeiramente, vamos esclarecer que o ego ao qual me refiro neste texto é o ego do egocentrismo. O lado negro da coisa toda. Convenhamos, massagem no ego é sempre bem vinda. Aquele elogio que a gente não espera, uma roupa que voltou a servir, o cabelo que acorda num bom dia... Tudo massageia nosso ego. Mas é preciso ter um cuidado imenso para não deixar que um ego grande demais te domine.


Escrevi uma vez que há um hiato considerável entre ego e amor-próprio. As pessoas tendenciam a confundir as duas coisas e cansei de ouvir chatos egocêntricos que justificam suas atitudes com "auto-amor". Calma, não me crucifiquem! É lindo demais se amar. É lindo estar bem consigo, se entender e se saber ouvir. Se permitir sem rótulos. Mas isso não dá o direito de desrespeitar ao próximo, tampouco o direito de julgar que a sua opinião é a única verdadeira do mundo e que todas as pessoas são burras porque não pensam da mesma forma.

É uma linha tênue que separa o amor do egocentrismo tresloucado. A pessoa se ama a tal ponto de achar que o mundo gira em torno do próprio umbigo e que to-das-as-pes-so-as devem girar também.

Oi?

É como digo (sempre!): sejem menas. Se amem, mas não se idolatrem. Yes!, tem uma diferença GRITANTE entre amar e idolatrar, porque quando um ser/objeto é idolatrado, propiciamos a botá-lo num pedestal inalcançável, como se ele/isso fosse dono do mundo e da verdade.

STOP!

Vamos fazer uma autoanálise? Eu proponho um momento de meditação. O olhar para dentro de si. Sim, meus caros, antes de sairmos apontando dedos para os egocêntricos que esbarramos todos os dias, vamos aprender a apontar o dedo para nós mesmos. Quão egoísta e egocêntrica é uma pessoa que não sabe enxergar os próprios defeitos? Pois é, não sejam estas pessoas, por favor!

Aprendi a dosar meu amor-próprio por dois motivos: primeiro, tinha amor de menos — eu não aceitava elogios. Segundo, porque odeio pessoas de ego cheio. Então, procuro ter uma dose saudável de ego/amor-próprio e cuido demais para não fazer o mundo girar em torno de mim (por mais que eu seja incrível de vez em quando).

Tente ver se você não é uma dessas pessoas que você odeia e reclama aos quatro ventos, xinga no twitter e solta indireta no Facebook. Já parou para pensar que muitas pessoas, às vezes, pensam que a indireta que você escreve serviria para ti mesmo? Se autoavalie, meu bem. Veja se você não está afastando as pessoas e ficando cada vez mais sozinha.

"Mafê, esse é meu jeito. Quem tá comigo, tá comigo e foda-se." Será mesmo? Ter o mundo girando em volta do próprio umbigo é 'estilo de vida'?

Precisamos, urgentemente, falar sobre o ego. Ele é o principal autoflagelo que temos e a maior armadura que usamos. É quase um suicídio lento. Pouco a pouco o ego vai tomando tanto espaço que não sobra lugar para mais ninguém


(Pra mim, inclusive)

comentários pelo facebook:

3 comentários:

  1. Adorei, Mafê! Concordo com o que disse. É um grande desafio descobrir quando seu ego está falando ou seu amor próprio, o mais importante é saber dosar a quantidade de ego diária pra não se tornar um babaca, né? E perceber também o quanto é mais importante o amor próprio.

    ResponderExcluir
  2. Oi, moça.

    Estou conhecendo seu blog agora e posso dizer que estou apaixonada ^-^
    Além de você apresentar esse tema incrível, você escreve muito bem. Eu tenho um grande problema com pessoas que "se acham", porque eu sempre me senti oprimida por todo mundo. Talvez, meu ego tenha falado mais alto duas ou três vezes, mas eu realmente não consigo me lembrar de algo específico, já que eu odeio aparecer, odeio ser o centro das atenções (as vantagens de ser invisível pt II). E mesmo que alguém me elogie não sei reagir. Me afasto muito de gente que tem um ego gigante, porque eu sempre fui abnegação - sempre fiz mais pelos outros do que por mim mesma, sempre me sinto melhor pelos outros do que por mim mesma. E sobre amor-próprio, ainda estou nesse cai-e-levanta para conseguir me amar um pouquinho mais a cada dia.
    Parabéns pelo blog, voltarei mais vezes! :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ai ai, essa questão de ego é algo bem complicado hein Fê?!

    Adorei a forma leve, crítica e construtiva que você abordou o assunto. Quando o ego cresce demais é bom dá um stop e rever os conceitos, não é só porque a pessoa se acha o bam bam bam que vai ter tudo girando ao seu redor!

    Por menos pessoas assim, e por mais textos como esse seu <3

    Cheirinho <3

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥