Saudade colorida

|

4 de julho de 2016


♥ porque a saudade deixou de ser preto e branco

Esses dias uma moça de olhos verdes me mandou uma foto no messenger do Facebook. Meu choque foi imediato, pois fazia muito tempo que a gente não conversava. O que ela me mandou não era bem uma foto, era um print. E na tela copiada-e-colada, o Facebook mostrando teu e-mail, para te convidar para entrar na rede. Estava ali, teu nome, completo, seguido de uma arroba. Daniel Monteiro. Ela mandou uma carinha triste, eu mandei outra chorando. Sabe, amigo, tem dias que a vida vem com essas surpresas boas, nos fazendo recordar de carinhos e amizades adormecidas. A tua, acordou feroz, com fome e rasgando tudo. Deixei.

Ontem eu falei de você. Eu estava narrando a bagunça que acontece do lado de dentro vezenquando e, quando vi, já havia falado de você. Chorei outro tanto, comedida, porque tinha plateia e eu não sei chorar com plateia. Você sabe, Dan, costumo odiar perguntas. Quando entro na minha bolha, quero ficar na minha bolha. Mas ali estava você, sendo comparado à outra pessoa. E eu senti uma saudade tua tão grande, uma vontade de colo tão intensa, um desejo de ouvir a tua voz e o tom do teu riso, que me deixou pequenininha, daquele jeito que você também sabe.

A noite, sozinha, deixei chover. Menti para todos que perguntaram, o que não me faz uma pessoa desonesta. A pergunta era simples: você está bem? E eu respondia que sim, porque eu estava. Eu estou. Se tivessem perguntado se eu estava com saudade, precisando de colo, precisando de afago, talvez a resposta fosse outra. Mas eu estava bem. Eu estava colocando ordem na bagunça. Consegui ajeitar quase a casa toda, mas teve um espaço que não quis mexer, porque não sei como. Então eu fiquei ali, ouvindo as músicas que você me cantava, imaginando teu rosto sereno e rindo entre lágrimas tímidas, pela delícia de tudo que está só começando.

Sabe, Dan, é uma delícia poder ver você n’outros risos, n’outros papos. Eu te enxergo em cada ponto final, em cada entrelinha, em cada mensagem que faz carinho no peito, enchendo ele de vida. É tão delícia essa sensação de esbarrar ‘contigo’, que assusta. Eu fico andando em cima de uma corda bamba, sabe, amigo? É uma linha tênue, pairando sobre um precipício gigante. Um deslize, um descuido, e acaba-se com tudo. Não sobra nada, nem lá nem cá. Mas agora tem você comigo, de mil maneiras estranhas. E entre a saudade que fica e amedronta, meu desejo é quase um mantra: que tudo fique bem, que tudo fique.

Você, fica?


 VEJA MAIS:
FACEBOOK | TWITTER | INSTAGRAM | 👻 mafeprobst



comentários pelo facebook:

2 comentários:

  1. Owm meu Deus do céu! <3
    O coração fica é miudinho com esses textos, sabe? E a memória traz à tona um monte de lembranças da vida, das pessoas, das saudades.

    Que sua saudade seja da cor que ela puder ser.

    Um abraço bem apertado! :*

    ResponderExcluir
  2. Já te falei uma vez e falo de novo essa sua saudade é tão linda, tão sincera, tão única <3 estou arrepiada e com uma cosquinha no canto do olho sabe?!
    Simplesmente M A R A V I L H O S O! Tenho certeza que o Dan fica com você sempre <3

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥