das cartas que eu não mando;

|

25 de agosto de 2016

mafê-probst
Guardo pra te dar, as cartas que eu não mando.
Conto por contar e deixo em algum canto.
[Leoni]

Brincando no meu iTunes, ontem, sorri com certo desdém pela ironia das minhas playlists. Depois que a acidez deixou a língua, deixei de ser boba e resolvi te agradecer por ter repaginado meu gosto musical, por ter me apresentado Moska, Camelo, Antunes e Jeneci. Jamiroquai, Save Ferris, The Kooks, Kasabian... De um modo geral, com exceção de todo aquele sertanejo e um ou outro pagode e house music, minhas músicas vieram todas importadas do seu acervo de treze dias musicais. A-gra-de-ço. Sério, agradeço mesmo. Criei certa simpatia, sabe? Fui ao show do Pearl Jam, duas vezes, te contei? Isso é tão você. E é irônico, pois se eu estivesse contigo, você iria sem sequer me convidar. Mas me convidaram, rapaz. Fizeram questão de me ter por perto, pra curtir um show que, caramba, eu passei a gostar também.

Sem mais, eu só te agradeço. Imensamente, por ter me preparado um bom bocado pro mundo. Por ter me feito mais egoísta e, apesar de, altruísta. Por ter exigido demais de mim e me fazer acreditar na minha capacidade meio torta de ser capaz, por ter me tirado o medo de altura, por ter me feito enxergar que a gente é suficientemente capaz de ser sozinho e que é muito bom ter gente para somar, não dividir. Isso de se doar sozinho, cansa. De gostar sozinho, ceder sozinho, apaixonar sozinho, querer sozinho, fazer acontecer sozinho. Equilíbrio, meu caro, requer dois. E, por mais cega que eu tenha ficado, foi bom ser sozinha, pra ver que sou suficientemente forte, que posso carregar o meu mundo e o nosso mundo nas costas. Não nosso-nosso. Meu e seu, nada disso. Nosso, me refiro, quando há nós. Ser plural, se é que você me entende... Não entende, não é? Você sempre foi egoísta demais pra dividir o teu mundinho com qualquer nós. Entre a gente, tinha nó. Um montão de nós, desfazendo laço atrás de laço até que não restou nadinha de nada. Nada de afeto, de consideração, de saudade. Nada. Só um tanto de gratidão – da minha parte – por ter me feito enxergar não tarde demais o quanto esses nós eram errados, impróprios e sem futuro.

Você me fez melhor, moço. Acrescentou uma boa dose de cultura, de ironia e de paciência. Me fez odiar o futebol, apaixonar por Quintana, cervejas e atum. Ando meio indecisa se gosto de árvores em miniaturas e chego à conclusão que não há nada pra concluir. Gosto de documentários, rezo todas as noites e assisto filmes franceses. Tem que ter cor! Depois de um ano muito azul, eu quero mais é vermelho, verde, preto e branco. A-ma-re-lo. Meu céu particular agora é sempre pôr ou nascer de sol. Suave, leve. E recheadinho de carinho, sabe como? Não, é claro que você não sabe... Você não tem noção e, caramba!, como é bom! Eu perdi o medo do toque, sou mais eu mesma do que nunca fui, perdi um tanto da minha claustrofobia, desde que o que me “sufoca” seja um pescoço e um abraço. Dá pra respirar tranqüilo no pescoço, rapaz. Dá pra dormir em paz. Fácil. Facílimo.

Então é isso.

Obrigada por ter sido tão insensível na tua sensibilidade. Por ter me cobrado demais, por ter querido que eu mudasse muito. Eu mudei foi suficiente pra saber que era desnecessário e comecei a fazer por quem faz por mim também, sabe? Você foi ótimo, apesar de. Talvez se não tivesse rolado beijo na boca, sentimento da minha parte e arrogância da tua, a gente teria se dado bem como amigo. Trocado correspondências, filmes, poesias, figurinhas. Quem sabe... algum dia.

É.
Obrigada.


VEJA MAIS:
FACEBOOK | TWITTER | INSTAGRAM | 👻 mafeprobst

• • • • • 

*Para fins de direitos autorais, declaro que as imagens utilizadas neste post não pertencem ao blog. Qualquer problema ou reclamação quanto aos direitos de imagem podem ser feitas diretamente com nosso contato. Atenderemos prontamente.

comentários pelo facebook:

10 comentários:

  1. Que texto, Fê! Chega a ser engraçado como eu me identifiquei e me encontrei em muitas linhas deste texto! Alguém sempre acaba entrando na nossa vida, mas não fica, só entra nela pra bagunçar, nos ensinar alguma coisa e vai embora.
    Amei, quero mais!

    Beijão, mariasabetudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li um trecho da Marta Medeiros que fala sobre almas gêmeas e traduz exatamente esse caos que algumas pessoas trazem pro lado de dentro: "As pessoas acham que alma gêmea é o encaixe perfeito, mas a verdadeira alma gêmea é um espelho, a pessoa que mostra tudo que está prendendo você, a pessoa que chama atenção para você mesmo para que você possa mudar sua vida. Uma verdadeira alma gêmea é provavelmente a pessoa mais importante que você vai conhecer, porque elas derrubam suas paredes e te acordam com um tapa. Mas viver com uma alma gêmea para sempre? Não. Dói demais. As almas gêmeas só entram na sua vida para revelar a você uma outra camada de você mesmo, e depois vão embora".

      E não é?

      Beijão

      Excluir
  2. Adorei o seu texto!!

    http://annahandtheblog.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. "por ter me feito enxergar que a gente é suficientemente capaz de ser sozinho e que é muito bom ter gente para somar, não dividir. Isso de se doar sozinho, cansa. De gostar sozinho, ceder sozinho, apaixonar sozinho, querer sozinho, fazer acontecer sozinho. Equilíbrio, meu caro, requer dois. E, por mais cega que eu tenha ficado, foi bom ser sozinha, pra ver que sou suficientemente forte, que posso carregar o meu mundo e o nosso mundo nas costas. Não nosso-nosso. Meu e seu, nada disso. Nosso, me refiro, quando há nós. Ser plural, se é que você me entende... "

    AI. MEU. JESUS. Obrigada Deus, obrigada, obrigada, obrigada por ter me feito voltar a bloggar. Por existir na minha timeline e na minha vida pessoas que escrevem definitivamente com a alma, e me faz ver que, realmente, nós merecemos mais do que um amor que é tão "eu e ele" e nenhum pouco "nós". Parece um pouco de mim isso aí de cima. Cada linha, cada entrelinha, cada parte da história, me senti um pouco nela. É tão bom passar esse tempo só, porque descobrimos tantas coisas. Hoje me sinto em paz. Sinto que foi necessário, cada tombo, cada queda, cada coração partido. Pra que eu pudesse perceber quando era pra ser também. Sei lá, acho que é meio isso.

    ÉGUA FERNANDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. CARAMBA. Tu me deixa sem palavras. hahahahaha... SAUDADE DEMAIS DESSE CANTO AQUI. NUUUUUUUUUSS. Vou tentar me fazer mais presente, tá? Mesmo sumida sempre passei os melhores sentimentos pra ti <3 E torço muito, por todo o teu sucesso e vida. Você também me ajudou a moldar quem eu sou hoje. Literariamente, pessoalmente <3 Obrigada inclusive, por me inspirar.

    Um beijo doce.
    Minion

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QUE TEXTÃO MINION!!!!
      Adorei que tu se indentificou (ainda mais por saber parte da história) ♥ e fico feliz de saber que tem volta :D

      seja sempre mais que bem vinda.

      Excluir
  4. Mais uma vez tu sendo tu: Maravilhosa!
    Obrigada por tantas palavras lindas pra a gente ler.

    Beijão em tu :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu só sou eu, pq tem vocês na minha vida ♥
      beijão em tu :*

      Excluir
  5. Eita, Mafê. Pegou pesado. Eu me vi nesse textinho aí.. não em tudo, mas em uma grande maioria dele... Me fez lembrar de alguém que agiu exatamente assim, mas não ao ponto de me mudar, porque eu sai antes de acontecer. Mas foi bom ler e lembrar que, graças a Deus, eu não mudei por ele, mas por mim ♥

    Amei o texto..

    beijos, coisa mais liiiiiiinda ♥

    www.eduardalins.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem mudanças que são positivas. Mas é bom reconhecer que é preciso mudar de trilha para não se perder demais.

      Excluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥