eu vou falar dela de novo

|

30 de janeiro de 2017


mafe-probst
30.01.2017 - dia da saudade | ouça enquanto lê: Dig - Incubs

Eu lembrei da data na semana passada, quando Tio Mark Z. me sugeriu uma amizade com o meu avô. Era uma quarta-feira ensolarada, mas meus olhos se encheram de chuva. Janeiro. Lembrei que dia 30 – hoje – completaria dois anos que o vô nos deixou para abraçar quem já tinha ido. Câncer, o vilão do século. Ele sofreu uns meses e tudo evoluiu (evoluiu?) rápido demais. Lembro que ele tinha o rosto sereno quando partiu e ver seu ‘semi-riso’, acalantou um pouco nosso coração.

Enfim. A data já tinha sido pré-anunciada e eu já tinha programado umas coisas para postar no dia de hoje. Lembrei de todo mundo que já partiu, o dia inteiro. Fiquei cutucando as memórias, doendo leve. É natural: quando se lê ‘dia da saudade’, logo lembramos daquele que já não estão mais, daqueles que se foram para sempre.

Mas, e toda aquela saudade de pessoas ainda vivas, de lugares tão bonitos, de memórias tão reais e palpáveis? Essa saudade não merece receber uma atençãozinha especial? Por que esquecemos dessas saudades diárias num dia que, justamente, é especialmente dedicado à elas?

Eu parei para recordar. Botei uma música antiga para tocar e abri o baú das memórias, das histórias, das recordações. Me vesti de saudade por inteira. Deixei de cada pelo evaporar uma lembrança. Eu era a falta do que já foi, a falta de quem partiu, a falta de quem ficou e a falta de tudo ainda que ainda não veio...


Feliz dia da saudade que nos cutuca o ano inteiro.

comentários pelo facebook:

6 comentários:

  1. A saudade é o que vem com o fim do que jamais deveria acabar.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Acredito que a gente acaba focando a saudade em que já não está de corpo presente pelo simples fato de não ser mais possível o contato. O ruim disso é a probabilidade de se tornar alheio a quem está ao redor, esperando um pouco da atenção, do sorriso, do abraço, das fotografias. Sinto saudade de todos os entes queridos que foram, mas na fé de que estão em um lugar melhor, vou levando saudade dos sorrisos e dos momentos que vivi, isso tudo unida à uma certa esperança que me traz a certeza de dias bons que virão. Eu tenho esperança que a saudade jamais cessará.

    Boa semana pra você!
    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
  3. Nunca estamos preparados para a perda...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  4. Olá Mafê, adorei conhecer seu blog e dei uma olhada tbm no seu insta e adorei muito. Você escreve muito bem <3 Quando perdi meu avô eu fiquei tão em choque que não entendi o que estava ocorrendo na época, era meu melhor amigo. Hoje me sinto feliz ao lembrar de todas as coisas boas que tivemos juntos


    bjs, Carol | Espilotríssimo
    www.carolespilotro.com

    ResponderExcluir
  5. Ah, a saudade. A gente passa uma vida inteira sentindo saudade do que foi embora, do que não nos cabe mais, dos momentos que passaram. Vivemos em uma constante nostalgia ♥ Adorei o texto e me veio lembranças impossíveis de esquecer. Tá lindo.

    ResponderExcluir
  6. Que post meio triste, poxa :(
    Mas com toda certeza seu avô está em um lugar maravilhoso!
    Quando falam de saudade eu não lembro de pessoas, mas sim de momentos legais que vivi e que ainda posso repetir, quero que seja sempre assim ;)

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥