eu te amo, mas não sei

|

15 de maio de 2017

Originalmente escrito para o Jornalismo de Boteco

As coisas complicaram sem eu nem perceber. Não lembro quando foi que nosso amor saiu do trilho, mas eu vejo o caos que a gente tá vivendo, eu vejo o tanto que tá machucando do lado de cá, o tanto que tá doendo do lado de lá e o tanto de lágrimas que a gente derrama, lá e cá.

Tô sem saber o que fazer. Eu me vejo andando de um lado para outro. Fico relendo nossas conversas para ver se encontro o gatilho que desandou tudo... Nada. Não sei, pequena. Não sei... Eu resolvo ignorar a bagunça, que é pra gente ver se consegue se acostumar com ela, fingir que nada há. Voltar de onde paramos, me ancorar na calmaria do teu cais.

Te mando as coisas de sempre. Lembro de você, como sempre. Na música que tá tocando na rádio e te envio. No texto que escrevo e te descrevo — nos descrevo. Na saudade com a qual aprendi a conviver, todos os dias. Na falta que você faz enquanto só me envia silêncio. Eu percebo todas as vezes que você me deixa um pouquinho. Eu percebo a distância que aumenta cada dia um tanto mais, e me vejo andando, de um lado para o outro, sem saber o que fazer. Sem saber como fazer. Sem saber.

Eu te amo, mas não sei... Amar, e só, não parece mais suficiente. Tô sem saber o que fazer e volto a reler nossa conversa, pra tentar entender como as coisas complicaram desse jeito. Não sei. Eu queria saber tudo, ter a resposta na ponta da língua, mas eu não sei. E a distância aumenta. E o desgaste aumenta — e machuca. Somos dois apaixonados que se perderam, em algum momento.

Vou continuar tentando entender e, honestamente, vou continuar fingindo que está tudo bem, mesmo não estando. Vou continuar ignorando essa distância que está, cada vez mais, aumentando. Vou continuar te mandando música, filmes, textos, porque esse sou eu, porque eu só sei ser assim.

E mesmo tudo caminhando para o fim, e mesmo que só amar não esteja bastando, eu continuarei te amando...


MAFÊ PROBST
Engenheira, blogueira, escritora e romântica incorrigível. É geminiana, exagerada e curiosa. Sonha abraçar o mundo e se espalhar por aí. Nascida e crescida no litoral catarinense, não nega a paixão pela praia, pelo sol (e pelo frio) e frutos do mar.

FANPAGE | @MAFEPROBST | @INSTADAMAFE

comentários pelo facebook:

4 comentários:

  1. Que texto lindo! Tão cheio de sentimento e ao mesmo tempo doloroso. É aquela sensação de amar mas sabendo que isso tá machucando né? Já passei por isso :( não é nada legal.
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  2. Confuso. Em mim.

    Quando fingimos, não somos. E uma vez que não é possível ser, como será possível amar? Me soa mais como covardia e acomodação. Amor sempre busca caminho, a gente sabe.

    É. Confuso. Mas a cada dia mais bem escrito. <3

    ResponderExcluir
  3. Forte. Já me peguei nesses sentimentos confusos de não saber lidar com o relacionamento e não saber como reagir ao que acontece. </3. E acho que nunca saberemos.

    ACESSO PERMITIDO. ♥
    www.acessopermitido.com

    ResponderExcluir
  4. "Porque eu só sei ser assim." Muito bom!

    Fiquei feliz e surpreso nas mesmas proporções com sua visita ao meu blog e seu comentário. Obrigado, de coração <3

    THE TRANSGRESSOR
    http://sozinhonoplanetaterra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

infelizmente a plataforma do blogger é meio ruinzinha para comentários, então, se quiser ver minha resposta ao comentário, terá que voltar por aqui. Ou comente pelo Facebook, ali em cima, aí aparecerá a notificação da resposta para você ;) Ah! e se tiver um blog, não tenha medo de deixar link, ok? Procuro visitar todos ♥